-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

GESTÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS _ PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, DIRETRIZES, REQUISITOS E FASES

Porquanto ainda  não esgotado, o GRO apresenta muitos desafios a toda uma categoria que, via de regra, deixou de ter em sua rotina um bom processo de gerenciamento de riscos ocupacionais.

Ao longo dos tempos, muitos se quer conseguem atentar para que se possa gerenciar algo, temos de admitir ou reconhecer que temos algo para gerenciar.

Logo, é relevante e importante insistir nas 06 (seis) fases iniciais do GRO, que é:

O Objetivo do GRO é estabelecer diretrizes e requisitos para o gerenciamento de riscos ocupacionais e as medidas de prevenção em Segurança e Saúde no trabalho

O GRO inclui as seguintes etapas de desenvolvimento devidamente registrado:

  • Antecipação: Ação, processo, ou procedimento de ver antes, de controlar as entradas que possa impactar na gestão de riscos já controlados. Nenhum novo “RISCO/AMEAÇA” será admitido antes de ser devidamente examinado e aprovado pela equipe gestora, inclusive com a participação da CIPA onde houver. É desaconselhável qualquer modificação que, segundo o critério de qualificação escolhido no sistema da matriz AIHA,  adicione riscos/ameaças ao ambiente sem o devido Tratamento;

 

  • Reconhecimento: Aceitar. Perceber, enxergar, reconhecer que temos sim uma ameaça ou problema que deve ser avaliado/monitorado/controlado;

a) a sua identificação;  b) a determinação e localização das possíveis fontes geradoras;  c) a identificação das possíveis trajetórias e dos meios de propagação dos agentes no ambiente de trabalho;  d) a identificação das funções e determinação do número de trabalhadores expostos; e) a caracterização das atividades e do tipo da exposição;  f) a obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível comprometimento da saúde decorrente do trabalho – instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho existente na empresa;   g) os possíveis danos à saúde relacionados aos riscos identificados, disponíveis na literatura técnica (agentes etiológicos Lista B Dec. 3048:99, Base do TLV ACGIH, Outros…;  h) a descrição das medidas de controle já existentes.;

 

  • Identificação: Localizar a fonte geradora,  a sua presença e os aspectos e impactos nas atividades/operações;

 

  • Avaliação: Mensurar, Medir (qualitativa ou quantitativa – AIHA). Dimensionar a exposição do trabalhador, subsidiar modelos e controles; Montar o inventário de riscos (QFBEA); Lista de Perigos e Riscos, Classificação, Categoria do risco…

 

  • Diagnóstico: Classificar segundo a grandezacaracterizar o risco,  priorizar medidas de controle segundo os resultados obtidos nas etapas anteriores. Estabelecer modelos de controles, exames de viabilidade técnica e econômica da ação para consecução do objetivo proposto – Plano de Ação;

 

  • Controle de Riscos Ambientais: Limitar, minimizar, reduzir, atenuar, segregar, eliminar. Estabelecer domínio ou vigilância. Neutralizar. Elaborar o Plano e Cronograma de Ação (metas relevantes, específicas e mensuráveis). Implementar ação e avaliar a eficácia das medidas de controle e divulgação de dados. A gestão estratégica de desempenho deve seguir o método do PDCA para a melhoria contínua.

 

 

  • Protocolo de gestão estratégica que pode ser aplicado e sequenciado em 12 tempos conforme demonstramos a seguir:
    1. Elaborar o GRO a partir das fases ou etapas supra enumeradas;
    2. Inventário de Riscos;
    3. Planejamento Estratégico com metas relevantes, específicas e mensuráveis;
    4. Classificação e Categorização dos Riscos com a priorização de medidas de controle;
    5. Estabelecer medidas para tratamento de riscos ocupacionais (Procedimentos, Protocolos, Diretrizes, Rotinas, capacitações, etc…);
    6. Matriz de Capacitação, programas de treinamentos conforme NRs;
    7. Fluxograma de monitoramento de riscos com respectivos ciclos ou períodos de verificação;
    8. Estabelecer e garantir a aplicação de critérios para garantir a eficácia do EPI (conforme determina legislação trabalhista e previdenciária);
    9. Estabelecer ciclos de avaliações sequenciais de resultados da melhoria contínua (PDCA);
    10. Monitoramento dos indicadores clínicos epidemiológicos relativos a SST;
    11. Reunião Gerencial do Planejamento Estratégico com análise dos indicadores de desempenho e ações preventivas ou corretivas, quando aplicável;
    12. Análise Global do GRO, pelo menos uma vez por ano.

Feito isto, já com os respectivos Laudos Técnicos devidamente observados as legislações específicas, critérios e padrões legalmente estabelecidos temos, a partir da metodologia do PDCA,  uma sugestão ou proposta para a estrutura básica do GRO.

Diretriz de SMS

Pedro V. Pereira

Consultor de Segurança e Saúde do Trabalho

 

“Tudo aquilo que o homem ignora, não Existe para ele. É por isso o universo de cada um,  se resume ao tamanho de seu saber.” (A. Einstein)


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe seu comentário Um comentário

  • francisco soler disse:

    Pedro sou Francisco Soler Consultor Financeiro e Administrativo 30 anos na área Financeira Empresário Industria de Plástico 350 toneladas mês para HODIA
    Comercio proprietário de CAFÉ E LANCHE na Pamplona com Paulista em SP ~ Corretor Seguros, Corretor de Imóvel e Avaliador Brasil, Perito em avaliação Imobiliária Certificado Oficial pelo CRECI, (Técnico em Segurança do Trabalho a 5 anos é o meu foco Certificado RP 0091277/SP.-tenho focado há um ano Treinamentos CIPA, BRIGADA DE INCÊNDIO, TRABALHO NA CONSTRUÇÃO O.S OPERADOR DE EMPILHADEIRA.
    Tenho 70 anos preciso trabalhar o mercado da Segurança do Trabalho me motivou mais uma vez a começar, foi do nada quando de uma visita a um escritória de Advocacia de um amigo e que tinham outro negócio a Segurança e Medicina.
    Minha determinação e alcance logo me fez ver a falta de informação e orientação nessa área mas +e um assunto longo.
    Preciso ajuda quero estar Certificado para GRO PGR, tenho muito conhecimento trato meus documentos de forma robusta, preciso desse diferencial para abrir portas para trabalho. Não sou Capaz porém Deus tem me Capacitado.por favor me oriente Francisco Soler SP 11 5063~1353 SAPP 11 963959128

Deixe uma resposta

Open chat
1
Fale com nosso setor comercial! Como podemos te ajudar?