-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Durante este momento crítico de pandemia, muitos gestores de segurança do trabalho estão focados em garantir as melhores práticas para evitar a proliferação do vírus em seus locais de trabalho. Uso de máscaras, álcool gel, EPIs e regras de distanciamento social se tornaram o novo modelo a ser seguido. Entretanto, estabelecer uma estratégia de prevenção vai muito além disso.

Segundo destacou uma pesquisa do Sistema Fiep, em parceria com o GPTW, estabelecer uma relação transparente e de comunicação clara com os funcionários é fundamental para garantir que todos os cuidados sejam seguidos à risca. Segundo o levantamento, quase 100% dos entrevistados confirmaram a transparência das organizações em relatar situações de acidentes ou doenças, e regularizar as condições com intenção de melhorar a segurança, como um fator de suma importância.

Essa lógica se aplica, mais do que nunca, no resguardo das organizações e seu quadro de colaboradores em meio à pandemia. Tão importante quanto reforçar medidas de higiene, práticas em espaços comuns, como banheiros e refeitórios, a comunicação disso por parte do RH deve ser a mais clara possível.

Ações de conscientização, palestras online, distribuição de materiais de segurança agora são parte do trabalho diário dos gestores de SST, transmitindo maior segurança e confiança a seus colaboradores, promovendo uma cultura de prevenção que, por consequência, diminui os riscos para a criação de focos da Covid-19. Além disso, estamos falando de benefícios para as empresas, que criam uma maior segurança jurídica caso funcionários contraiam o vírus fora do ambiente de trabalho.

Atualmente, diversos estados já estão divulgando seus protocolos de segurança a serem seguidos por diferentes setores da economia. Acesse o portal da Secretaria de Saúde do seu respectivo estado para saber mais. Contudo, por conta própria, as companhias podem ter as suas cartilhas, com protocolos internos de conduta e cuidados a serem seguidos, em linha com as orientações das autoridades oficiais.

Especialistas da área jurídica recomendam às empresas a criação de comitês multidisciplinares (com integrantes de vários setores, coordenados pela diretoria e RH) para acompanhar os esforços de prevenção internos. Isso ajudará a definir as melhores práticas caso algum suspeito seja identificado, e um funcionário tenha que ser afastado, por exemplo. São medidas que aumentam a confiança na gestão, trazem transparência e reduzem tensões em um cenário bastante delicado.

Se sua empresa ainda está confusa sobre como definir um plano de ação de SST e gestão de relacionamento com funcionários durante a retomada, uma boa dica é ler o Gua de Orientações Gerais publicado pelo Ministério da Economia, que lista medidas de caráter geral no trabalho, em linha com determinações recentes da legislação trabalhista, e com foco na criação de ambientes de alta segurança e comunicação. Eles abrangem de dicas básicas de higiene, informações de SESMT, CIPA, grupos de risco, transporte de funcionários e uso de máscaras. Você pode conferir neste link.

Parece muita coisa a ser feita e para se preocupar, e para ser honesto, é mesmo. Entretanto, a volta ao trabalho exigirá todos estes cuidados para que a economia seja retomada com segurança. Mesmo assim, contar com a tecnologia como apoio às ações de segurança no trabalho pode ser um diferencial decisivo. Questões como a gestão de EPIs, controle de processos, compliance, digitalização de documentos dos colaboradores e análise de indicadores podem ser de grande ajuda. Entre em contato com a RSData para saber mais sobre estas soluções e como elas farão a diferença na sua estratégia de SST.


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

Open chat
1
Fale com nosso setor comercial! Como podemos te ajudar?