-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Novo emprego como profissional de SST: Por onde começar?

No mês de novembro uma ex-aluna de um dos meus cursos, entrou em contato comigo para informar que tinha conquistado uma recolocação no mercado e me perguntou por onde ela deveria começar neste novo trabalho como profissional de segurança do trabalho.

Sabemos que um profissional de segurança do trabalho em sua gestão, precisa realizar uma grande quantidade de atividades e até temos nossas atribuições como profissional de SST (Segurança e Saúde no Trabalho) previstas na Norma Regulamentadora NR-04.

Mas, para não me aprofundar muito, gosto de resumir que nosso objetivo é garantir a segurança,  saúde dos trabalhadores e o crescimento das organizações através de um gerenciamento efetivo dos riscos e do uso eficaz de recursos.

E para isso, precisamos conhecer e  aplicar diversas normas, técnicas e ferramentas.

Porém, quando começamos em um novo trabalho é normal de querer resolver todos os problemas, apesar de ainda não conhecermos bem a organização e sem entender  bem as peculiaridades e momento que a empresa vive em sua gestão de SST.

Logo, é normal bater aquela ansiedade e talvez uma certa insegurança.

Assim, vou tentar trazer aqui algumas ações que geralmente aplico e que podem ajudar você neste momento. Como é um tema um pouquinho extenso vou dividir em dois artigos.

Apresentando 5 sugestões em cada.

Mas isso não quer dizer que são as únicas e nem que são as melhores, por isso, convido você a deixar nos comentários  algumas dicas e sugestões adicionais.

Vamos aos 5 primeiros pontos:

Primeiro ponto: Por que você foi contratado?

É importante que você entenda o motivo da sua contratação e o que a organização espera de você. Pois, você pode ser o único profissional de segurança da empresa ou estará fazendo parte de um SESMT, ou você pode ter sido contratado para atender a um contrato de prestação de serviço em um cliente, ou seja, é uma solicitação do cliente. Logo, vai precisar dominar os procedimentos internos e não somente as NRs.

Você poderá ter sido contratado para a gestão de terceiros e irá atuar na auditoria e fiscalização destas empresas terceiras. Em cada situação desta, a organização através de seu CEO, diretores ou gerentes esperam que você resolva um determinado problema, ou uma determinada demanda. Não que seja a única, mas será a principal para eles. Geralmente isso já fica claro na entrevista. Isso irá te ajudar a ter um norte para o foco do seu trabalho.

Segundo ponto: Conheça a organização.

Costumo dizer que uma organização é um organismo vivo e que tem suas características próprias, seus pontos fortes e fracos. Podem ser um recém-nascido, ou seja, uma empresa nova com muita tecnologia ou uma senhora já idosa, com equipamentos de baixa tecnologia e processos mais manuais.

Portanto, você realmente precisa conhecê-la um pouco melhor antes de começar a propor ações e mudanças. Até porque uma mudança pode ser positiva ou negativa é preciso analisar o seu impacto ao longo do tempo.

Procure saber mais sobre o seu ramo de atuação, entenda o negócio, pergunte sobre seus clientes, produtos e serviços, entenda fluxo produtivo, atividades realizadas, principais dores ou desafios, fluxograma de produção, organograma e cultura.

Com isso você terá uma visão sistêmica deste novo ambiente.

Terceiro ponto: Conhecer os donos dos processos.

Ou seja, procure conhecer quem são as pessoas responsáveis pelos processos e tomadoras de decisão. Quem cuida de qual setor e quem pode auxiliar com informações. Ex. Gerente de RH, Supervisor de Produção, Gerente de Compras, Encarregado de Manutenção Elétrica, Civil e Mecânica. Pode ter certeza, de que você vai precisar deles em breve.

Quarto ponto: Rede de contatos.

Veja na sua rede de contatos quem são as pessoas que você conhece e que atuam no mesmo setor. Eles poderão ajudar você com algumas dicas. Entretanto, lembre-se, não é para ficar pedindo “modelinho” de tudo e sim para promover discussões técnicas sobre determinado problema ou ação que encontrou no seu novo trabalho;

Vamos dizer que estes 04 primeiros pontos são somente para você se adaptar ao novo ambiente e são pontos estratégicos para ter uma atuação mais efetiva.

Quinto ponto: vá a campo ou tire o bumbum da cadeira. Os riscos não vão bater na porta da sua sala, mas as consequências podem bater.

Por que se você não conhecer a origem dos riscos presentes da empresa, você não vai saber fazer um gerenciamento correto.

Logo no início solicite alguém para fazer com você um tour pela empresa. Leve um caderno ou uma prancheta, tire fotos do que achar importante.

Conheça todos os setores:  da portaria a expedição. Não esqueça de conversar com os trabalhadores, faça perguntas objetivas e não deixe de conversar com o pessoal da manutenção. Geralmente eles conhecem melhor a empresa que a maioria dos trabalhadores.

Observe se existem ações que precisam ser executadas de imediato, pontos que precisam de melhoria, veja os equipamentos que estão sendo utilizados, você poderá observar, por exemplo que um EPI não está adequado, ou que  não estão utilizados ou que não estão sendo trocados  e se existem condições de risco grave iminente.

Com tudo anotado, você irá para o sexto ponto, que será o nosso segundo artigo.

RSData software de sst

Os artigos reproduzidos neste blog refletem única e exclusivamente a opinião e análise de seus autores. Não se trata de conteúdo produzido pela RSData, não representando, desta forma, a opinião legal da empresa.


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •