-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Os novos tempos exigem outros padrões e regras para a Gestão e o Gerenciamento de riscos ocupacionais. Entre outros, a Portaria 6730 de 09.03.2020, resgata toda a estrutura e padrões internacionais a partir da NBR ISO 45001 e seus alinhamentos com a NR 1 – Disposições Gerais.

A organização deve implementar, por estabelecimento, o gerenciamento de riscos ocupacionais em suas atividades. Para cada risco deve ser indicado o nível de risco ocupacional, determinado pela combinação da severidade das possíveis lesões ou agravos à saúde com a probabilidade ou chance de sua ocorrência.

A organização deve evitar os riscos ocupacionais que possam ser originados no trabalho, logo a gestão de mudanças ou antecipação de riscos ocupacionais são imperiosas. A identificação dos perigos e possíveis lesões ou agravos à saúde deve considerar a avaliação os riscos ocupacionais indicando o nível de risco. A partir da classificação dos riscos ocupacionais será determinante a necessidade de adoção de medidas de prevenção, de acordo com a classificação de risco e na ordem de prioridade estabelecida  através da matriz escolhida e justificada pela organização. Acompanhar o controle e eficácia das medidas implementadas direcionadas num processo de melhoria contínua.

 Metodologia HRN ( Dar um Número ao Risco)

A metodologia aplicada respeita o sistema de análise de riscos descrito na norma NBR 14009, onde por meio de uma seqüência de passos são determinados os limites da máquina, identificando o perigo, estimando o risco / avaliando o risco, elaborando contra medidas e estabelecendo um padrão de segurança aceitável para o trabalho. Da mesma forma, o resultado HRN indicará a prioridade de tratamento da Não Conformidade, ou seja, a prioridade será em ordem decrescente a partir do valor obtido na Tabela Grau de Risco Calculado.

Ferramenta HRN:

Juntamente com este procedimento estabelecido por norma, também é usado como ferramenta para quantificação e graduação do risco o método HRN (Hazard Rating Number), ou seja, Número de Avaliação de Perigos. Este método é usado para classificar um risco de raro a extremo, dando ao risco uma nota baseado em diversos fatores e parâmetros. Usado e reconhecido mundialmente, o HRN é muito freqüentemente usado na análise de riscos de máquinas e pode ser adaptado a qualquer avaliação de análise de risco.

Quais parâmetros são utilizado pelo HRN?

Os parâmetros utilizados por este método são:

  • A probabilidade de ocorrência (LO) de estar em contato com o risco
  • A freqüência de exposição ao risco (FE)
  • O grau de severidade do dano (DPH)
  • O número de pessoas exposta ao risco (NP)

Para cada item mencionado acima é estabelecido um número que representa a variável de cálculo usada para encontrar o HRN do risco ou item avaliado. A fórmula aplicada para encontrar o nível de risco quantificado é a seguinte:

 HRN  (Número de Avaliação de Perigos) =

LO(Probabilidade Ocorrência) x FE(Frequencia Exposição) x DPH(Grau Severidade) X NP(Nº Pessoas Expostas)

Os parâmetros mencionados assim como as variáveis que cada um representa estão

mencionados na tabela que se segue:



Com base nos valores e nas variáveis pré-estabelecidas podemos chegar ao valor que determina o nível de risco mínimo e máximo de uma máquina ou equipamento avaliado pelo método HRN.

A tabela que se segue mostra o grau de risco e o range de perigo que pode ser calculado :

Tabela de Grau de Risco calculado de HRN

 

Portanto, por meio destes métodos mencionados e por meio de uma analítica e precisa avaliação pode-se chegar a um range de risco de 0,00165 onde representa o nível de risco mais baixo possível classificado como raro a 13.500 onde representa o nível de risco mais alto possível classificado como risco extremo.

Mediante esta metodologia baseada em normas e reconhecida no mundo é que podemos chegar a um consenso lógico e eficaz quanto ao grau de risco abordado

 

Baixe as Tabelas e inicie sua gestãoTabelas da Ferramenta HRN – Hazard Rating Number

 

Somente a busca sistemática e continua poderá assegurar padrões consolidados de melhorias em SST.

Pedro Valdir Pereira
Consultor de Saúde e Segurança do Trabalho
Instrutor de Treinamentos Credenciado pelo Corpo de Bombeiros/ RS Matrícula  000185/2011 e  00379/2013
Técnico Internacional em Emergências Químicas  – Especialista  pela NFPA 472 – HazMat Technician Standard  for Professional Competence of Responders to Hazardous Materials Incidents – Technician Level – transportation technology center, University of Texas – inc. USA
Safety Technician – Ergonomics, Occupational hygienist, Health and Safety
Delegado Eleito para representar o RS na Conferência Nacional de Defesa Civil – Brasília em NOV 2014

 

 

 


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

Open chat
1
Fale com nosso setor comercial! Como podemos te ajudar?