-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO 4.0 – VOCÊ ESTÁ PRONTO?

Podemos observar que nos tempos atuais grandes mudanças de concepção de produtos, processos e tecnologias afetam as mais diversas áreas do conhecimento. O mesmo acontece com a Segurança e Saúde do Trabalho, que a tempos no Brasil precisa de uma drástica modernização para atendimento de novas demandas do Governo, empresas, trabalhadores e profissionais da área.

É compreensível que a resistência ocorra. Resistência essa sofrida pelo próprio eSocial que faz parte de uma dessas necessidades de modernização, simplificação, unificação e digitalização de informações. Não entraremos no mérito do status do projeto, funcionalidade, legalidade, continuidade e outros pontos que não estão de encontro imediato com o tema, porém, que o mesmo depende de uma mudança cultural de todos os envolvidos, não temos como negar.

Mesmo que não em sua totalidade, mesmo que não pra todos os envolvidos, mudar é difícil e doloroso. Sobretudo quando se exige a saída imediata da zona de conforto em que se encontra o profissional.

Vamos, antes de iniciarmos a tratativa da Segurança e Saúde do Trabalho 4.0, entender em contexto histórico do que queremos trazer a discussão.

A primeira revolução que se tem conhecimento foi a Revolução Agrícola, a cerca de 10 mil anos no período neolítico, onde os homens migraram da caça e coleta para a agricultura.

A Primeira Revolução Industrial que iniciou-se em meados de 1760 como ponto marcante o surgimento da máquina a vapor, maior eficiência da energia a água, indústria têxtil de algodão, etc.

A Segunda Revolução Industrial iniciou-se na segunda metade do século XIX. A energia elétrica, a produção seriada, o Fordismo e o Taylorismo marcam a época.

A Terceira Revolução Industrial marca a passagem do analógico para o digital, década de 70, a expansão do uso de computadores e o início da Era da Transformação. Novas tecnologias, automação, just in time, e o Toytismo que ergue o Japão pós guerra.

Se pensarmos sem o preciosismo de datas, haja visto que existem diferenças da duração de cada uma das revoluções nas literaturas, podemos analisar que tivemos aproximadamente:

– 10mil anos passados da Revolução Agrícola para Primeira Revolução Industrial

– 200 anos entre a Primeira e a Segunda Revolução Industrial

– 80 anos da Segunda para a Terceira Revolução Industrial

O termo Industria 4.0, que marcaria assim a Quarta Revolução Industrial, teve origem em um projeto estratégico do Governo Alemão, que promove a informatização da manufatura. Junto com a Industria 4.0 a Inteligência Artificial, a Internet das Coisas, Big Data, Cyber Physical Systems, Cloud Computing, a Nanotecnologia, o 3D e uma nova era surge.

É obvio que pensando em nossa área de atuação e as necessidades de atendimento a essa nova realidade e indústria, onde espera-se ter o processo de transição finalizado em no máximo 5 anos, precisamos urgentemente sair da zona de conforto e nos prepararmos para o profissional SST 4.0.

Eu sei que muitos vão dizer: – Mas nós não fazemos nem a “velha” segurança do trabalho, como podemos pensar em uma “nova”?

Simples! Métodos antigos não resolvem novos problemas.

A demanda do profissional para atendimento a Industria 4.0 vai muito além do que aprendemos até aqui. Precisaremos nos reinventar. Buscar capacitação e desenvolvimento de novas habilidades.

Precisaremos de profissionais criativos, inovadores, empreendedores, estratégicos, engajados, resilientes, responsáveis pelo tempo e qualidade do serviço realizado, que saibam resolver problemas e não somente “um” tipo de problema.

A permanência no mercado de trabalho dependerá necessariamente das funções cognitivas e sua capacidade de criar novas sinapses.

E como podemos nos preparar para isso?

Nos estimulando a conquistar desafios, superar dificuldades, resolver problemas, provocando estímulos com qualidade, intensidade e quantidade baseados nos preceitos da Industria 4.0.

Estudar as Normas Regulamentadoras a muito não esgota as necessidades de conhecimento de um profissional de Segurança e Saúde do Trabalho. Muito mais nos é necessário já para os dias atuais, que dirá para o futuro próximo.

Todo o conhecimento técnico continua e jamais deixará de ser fundamental, não há discussão a sobre esta ótica. Fato! No entanto, ele não será por si só suficiente.

“ O individuo só muda quando a dor de permanecer é maior do que a dor de mudar.”

                                                                                                                                              Marcos Meier

Vocês em algum momento deve ter tido contato com tecnologias que bloqueiam a entrada de trabalhadores após o vencimento dos exames ocupacionais, a distribuição de EPI através de máquinas, as fichas de EPI assinadas digitalmente, sistemas de leitura que visualizam se o trabalhador está devidamente equipado com seus EPI’s antes de adentrar em uma determinado setor, a desobrigação de documentos tais como, PPRA, PCMSO, PGR, ASO etc, em meio físico sendo inclusive assinados digitalmente. Sistemas com tecnologia Machine Learning com algoritmos que produzem novas sinapses para setup de máquinas. Empresas de jogos de videogames que utilizam a realidade virtual para treinamentos. E muita coisa já está por ai.

“Se você trabalha como um robô, você será substituído por ele”.

Murilo Gun

Fique atento as essas mudanças, inove, renove, se reinvente. A Industria 4.0 é uma realidade!

O profissional que não esperar a dor de permanecer o mesmo, estando atento e acompanhando essas mudanças, sem medo de experenciar o novo, terá um futuro inigualável rumo ao Profissional SST 4.0.

E eu? Te espero lá!

 

 

Rúbia Mara Pereira

Coordenadora do Academy SST , plataforma de cursos EaD para desenvolvimento de profissionais de segurança e saúde do trabalho, referência na implantação do eSocial, Gestora de Segurança do Trabalho no eSocial, Consultora em Higiene Ocupacional, Palestrante, Engenheira, Empresária e Proprietária na Chronos Soluções em Engenharia de Segurança do Trabalho Eireli.


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe seu comentário 3 comentários

  • Pedro Valdir Pereira disse:

    Rúbia, parabéns pela excelente argumentação. Uma realidade. A “mudança”, a inversão da pirâmide, os novos desafios. Os “motivos” para a ação – motiv – ação. Nos encontramos lá! Obrigado.

  • Rosana alves disse:

    Amei quero o curso.

  • Fábio disse:

    Boa tarde!

    Parabéns pelo texto. Preciso me reciclar para o modelo 4.0, como faço?

Deixe uma resposta

Open chat
1
Fale com nosso setor comercial! Como podemos te ajudar?