-- Global site tag (gtag.js) - Google Ads: 800368142 -->
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Para quem trabalha com Segurança e Saúde do Trabalho, uma norma é de extrema importância: a ISO 45001, que é focada na prevenção primária de riscos à segurança e à saúde de trabalhadores.

Nesta linha preventiva, aliás, esta ISO se aproxima muito dos objetivos do novo GRO, que é justamente voltado ao gerenciamento de risco, visando a evitar situações e fatores que possam causar danos aos indivíduos no ambiente de trabalho.

A ISO 45001 trata de fatores que expõem trabalhadores a riscos capazes de incidir em consequências das mais variadas – de acidentes a doenças de menor ou maior gravidade, perdas auditivas, entre outras, males causados por stress, doenças transmissíveis, dentre diversos outros problemas que podem ocorrer em ambientes não pensados a partir de uma cultura de prevenção aos riscos, voltada a garantir as bases de SST.

Seguir as normatizações previstas na ISO 45001 é uma maneira eficiente de propiciar ambientes de trabalho seguros e salutares, prevenindo lesões e problemas de saúde que podem ser relacionados aos fatores de trabalho. Trata-se de ações proativas na busca por locais laborais favoráveis ao bem-estar e à produtividade, que evitem riscos e causas de acidentes e doenças tanto no presente, quanto no futuro.

No mundo, as estatísticas indicam que, anualmente, o número de pessoas que sofrem lesões ou desenvolvem algum problema de saúde decorrente de práticas de trabalho passa dos 3 milhões. Um índice que pode ser reduzido e evitado com base na prevenção aos riscos laborais, que se dividem em: ambientais, ergonômicos e de acidentes.

No campo da ISO 45001, há ainda a questão dos equipamentos de proteção para realização do trabalho, bem como das medidas, sinais, instrumentos, normas, dispositivos e tudo o mais que for voltado à prevenção de ocorrências desagradáveis, seja no campo da segurança ou da saúde, dos trabalhadores.

Nisso, estão inclusos desde escadas e extintores a EPIs. De indicações de como utilizar um ambiente de trabalho de forma segura e salutar, até as medidas obrigatórias aplicadas para operação segura de equipamentos e máquinas – isto para citar só alguns exemplos básicos.

Qual o papel da ISO 45001 nisso tudo¿ Entrar com os requisitos para garantir a gestão adequada de SST, trazendo orientações que permitem às empresas minimizarem riscos e organizarem ambientes mais seguros e saudáveis para seus trabalhadores.

A essência da ISO 45001 prevê não somente que se evitem os riscos à acidentes e problemas de saúde nos trabalhadores, mas também que se busque, por meio de práticas favoráveis no âmbito de SST, a melhoria contínua do ambiente de trabalho, seja na aplicação de práticas internas de segurança e saúde do trabalho, seja no cumprimento aos requisitos legais desta área.

A ISO 45001, em si, não indica os critérios específicos para desempenho de SST, embora determine os requisitos para um sistema de gestão de SST e traga orientações para seu uso, sendo aplicável a todas as companhias que queiram estabelecer, implementar e manter um sistema de gestão de SST.

Com base nesta ISO, as empresas podem utilizar seus próprios sistemas de gestão de SST para melhorar as práticas votadas à segurança e saúde do trabalho, visando a buscar ainda mais alinhamento e conformidade com processos que garantam o bem-estar dos trabalhadores no ambiente laboral.

A ISO 45001 embasa suas recomendações de SST em um sistema Plan-Do-Check-Act (Planejar-Fazer- Checar-Agir), ou PDCA, uma ferramenta de busca pela qualidade e melhoria contínua que pode ser utilizada por qualquer empresa com foco na evolução de seu ambiente, práticas e resultados.

Neste âmbito, planejar passa pela avaliação e determinação de riscos, partindo para o plano de como evita-los; checar consiste no monitoramento e mensuração das atividades e processos relacionados à política e aos objetivos de SST das organizações; e agir atua na tomada de medidas diretas para prevenção dos riscos e melhoria contínua dos ambientes.

Assim, toda empresa que tenha como foco alcançar a melhoria contínua e compliance em SST deve estar atenta às normas da ISO 45001. Isto passa pelos passos do PDCA, pela organização de questões internas e externas que possam contribuir para a existência ou inexistência de riscos laborais, e por quaisquer outros fatores que possam influenciar na busca e alcance da melhoria contínua no que tange a SST.

É importante entender que todas as regras, conselhos e práticas criados a partir das orientações da ISO 45001 devem ser disponibilizados como informação documentada, e que a empresa deve, sempre, manter o foco tanto na prevenção de riscos, quanto no estabelecimento, implantação e manutenção de sistemas eficientes de gestão de SST como um todo.

Para controlar a informação documentada, é fundamental abordar aspectos como distribuição, acesso, recuperação e uso; armazenamento e preservação, incluindo a preservação da legibilidade; controle de mudanças (versões); retenção e disposição. De acordo com a revista digital ADNormas, a informação documentada de origem externa determinada pela organização como necessária para o planejamento e operação do sistema de gestão de SST deve ser identificada, da maneira mais apropriada a cada caso, bem como controlada.

Há, é claro, um controle de acesso, com autorizações ou negações a depender dos critérios estabelecidos pelas empresas, sobre a visualização da informação documentada, mas é importante que esta chegue aos trabalhadores ou seus representantes.

Em se tratando de ISO 45001, reduzir riscos de SST compreende estabelecer, implementar e manter um processo contínuo voltado a este objetivo, seguindo uma lista:

– Eliminar perigos e substituir o que for determinado como perigoso por processos, operações, materiais ou equipamentos que tenham menor potencial de resultado negativo sobre a segurança ou saúde do trabalhador

– Usar controles de engenharia e reorganização do trabalho

– Usar controles administrativos e realizar treinamento

– Fazer uso de EPI adequado

Importante, também, manter uma constante verificação sobre a compreensão dos trabalhadores em relação às orientações estabelecidas pela ISO 45001 e praticadas pelas empresas em seus planos de gestão de SST, bem como avaliar se tudo está sendo cumprido por eles, a fim de garantir que as práticas de prevenção a riscos sejam, de fato, executadas, assegurando um melhor ambiente de trabalho.

Ainda que sejam temas competentes à gestão, ISO 45001 e SST são assuntos a que todos os departamentos e trabalhadores precisam estar a par. É imprescindível que os trabalhadores se sintam à vontade para comunicar eventuais riscos que detectem, ou práticas inadequadas, que estejam em descumprimento com o plano de gestão de SST da companhia.

Receber este feedback, ter um acesso geral e um controle das ações de todos em relação ao cenário preventivo de segurança e saúde do trabalho, é a melhor forma de assegurar que as orientações da ISO 45001 e as regras determinadas por quaisquer outros mecanismos de SST sejam cumpridos, alcançando excelência em segurança e saúde do trabalho.

 

*Com informações de ADNormas


Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe seu comentário Um comentário

  • Nilson Flausino Dias disse:

    Bom dia.

    Parabéns pelas reportagens elencadas e pelos profissionais que divulgaram, de suma importância para a nação obreira e os profissionais que o cercam.

    Att

Deixe uma resposta

Open chat
1
Fale com nosso setor comercial! Como podemos te ajudar?